D. PEDRO

D'ALCÂNTARA E BRAGANÇA

Imperador do Brasil - Rei de Portugal

D. PEDRO

D'ALCÂNTARA E BRAGANÇA

Imperador do Brasil - Rei de Portugal

D. PEDRO

D'ALCÂNTARA E BRAGANÇA

Imperador do Brasil - Rei de Portugal

D. PEDRO

D'ALCÂNTARA E BRAGANÇA

Imperador do Brasil - Rei de Portugal

D. PEDRO

D'ALCÂNTARA E BRAGANÇA

Imperador do Brasil - Rei de Portugal

D. PEDRO

D'ALCÂNTARA E BRAGANÇA

Imperador do Brasil - Rei de Portugal

D. PEDRO

D'ALCÂNTARA E BRAGANÇA

Imperador do Brasil - Rei de Portugal

 

Retrato de D. João VI.
Óleo sobre tela. Domingos António de Sequeira. 1821.
O monarca aponta para um livro em cuja lombada figura a palavra “Cortes”, reforçando a sua imagem de rei constitucional.
Palácio de São Bento (Assembleia da República), Lisboa
1 de Outubro
D. João VI jura Fidelidade à Constituição liberal. A rainha D. Carlota Joaquina, absolutista convicta, recusa-se a prestar juramento.
A Rainha sai do Paço da Bemposta e é forçada a viver na Quinta do Ramalhão e posteriormente no Palácio de Queluz.
A cerimónia em que D. João VI jura fidelidade à Constituição liberal é publicada no nº 232 do Diário do Governo , 2 de Outubro de 1822, edição de 4ª feira:

SESSÃO REAL

No 1º de Outubro

(Presidência do Sr. Trigoso)

Ás 10 horas e meia declarou o Sr. Presidente que a Sessão estava aberta (…)Vinte e quatro minutos depois do meio dia entrou ElRei na Sala (…) Então se achava o Soberano Congresso em pé, e S. Magestade subio ao Throno, acompanhado da Deputação, e manisfestando para ella, e para toda a Assembléa os mais evidentes signaes do grande regozijo em que transbordava o seu Real Coração (…) e logo S. Magestade lêo o seguinte discurso:

»Examinei, Senhores, a Consituição política da Monarquia, que em nome de todos os habitantes do Reino Unido de Portugal, Brasil, e Algarves me foi oferecida por parte dos seus legítimos Representantes, reunidos nestas Cortes Gerais, Extraordinarias, e Constituintes da Nação Portugueza (…) Tal he, Senhores, a glórias a que Aspiro, e taes são os sinceros motivos, que Me determinão a aceitar, e jurar a Constituição Politica da Monarquia.»

Hemeroteca Municipal de Lisboa


Multimédia
Diário do Governo, 2 de Outubro de 1822 - 1
Diário do Governo, 2 de Outubro de 1822 - 2
Diário do Governo, 2 de Outubro de 1822 - 3